Telefone:  11 4555-2277  /  11 4555-1030

  

Menu

Itens filtrados por data: Agosto 2020 - Colégio Monsenhor

A alfabetização e o processamento auditivo

A alfabetização depende de vários aspectos do desenvolvimento da criança, como coordenação motora global e fina, coordenação viso motora, habilidades do processamento auditivo e também do interesse da criança pelas letras. Na verdade, aprendemos aquilo que é significativo para gente.

Para estimular nossos filhos nesse aprendizado, visto que em tempos de quarentena estão na maioria do tempo em casa, podemos inserir a leitura e a escrita na nossa rotina, por exemplo ao fazer uma lista do supermercado, lermos uma receita que preparamos na cozinha, as regras de um jogo que queremos aprender, ou mesmo aquela historinha no final do dia.

Mas além de tudo isso, hoje quero falar um pouquinho sobre as habilidades do processamento auditivo, isso mesmo, a capacidade que temos de processar as informações que recebemos pela via auditiva.

Podemos dividir nossa audição em periférica (a capacidade de ouvir ou acuidade auditiva) e central (a capacidade de processar ou compreender aquilo que ouvimos). Quando a nossa capacidade de processar a informação está prejudicada podemos ter dificuldade no processo de aprendizagem, mesmo tendo uma audição normal.

A capacidade do processamento auditivo interfere na nossa atenção, reconhecimento dos sons, discriminação sonora, memorização das informações entre outras dificuldades, e isso pode levar a uma dificuldade inicial no processo de alfabetização, e posteriormente a dificuldades na interpretação de textos, na ortografia (erros de s, ss, ç, x e ch, entre outros), na gramática, e até mesmo na resolução de problemas matemáticos.

As crianças com distúrbios do processamento auditivo apresentam ainda mais dificuldades quando estão em locais com ruído, tendem a ser desorganizados nos seus textos escritos, são considerados alunos distraídos e muitas vezes preguiçosos, quando na verdade, precisam de ajuda para aprender.

Sabe aquela criança que fala muito ãh? Ou que pede para repetir mais de uma vez o que lhe é dito, ou ainda que quando lhe é solicitado alguma coisa, volta e diz, o que era mesmo para eu pegar? Tem ainda aquela que quando está assistindo televisão precisa ser chamada várias vezes até perceber que está falando com ela. Essa criança pode apresentar uma alteração do processamento auditivo, que precisa ser investigada através de uma avaliação fonoaudiológica, que dará o diagnóstico e orientará em relação ao melhor encaminhamento para o caso, geralmente através de terapia.

Mas enquanto isso não ocorre, algumas brincadeiras podem ser feitas que ajudarão no desenvolvimento das habilidades auditivas mais importantes para o desenvolvimento da criança, ou seja, a memória e atenção. Segue algumas dicas:

1- Brincadeiras de ouvir e repetir – Todas as brincadeiras em que a criança tem que repetir uma sequência, que vai aumentando aos poucos, por exemplo, fui a praia e levei um....

    • criança _ chapéu
    • familiar _ chapéu e chinelo
    • criança _ chapéu, chinelo e toalha
    • familiar _ chapéu, chinelo, toalha e água

E assim por diante, errou, inicia com uma nova sequência, que pode variar com temas diferentes.

2- Brincadeiras que pedem as letras iniciais, que envolvem assim a memória auditiva. O que tem na cozinha com a letra P, ou frutas com a letra M. E assim por diante.

3- Repetição de sequência numérica, sempre iniciando por uma quantidade de números possível para a criança e aumentando gradativamente, pode variar dentro de uma mesma categoria semântica, sendo, animais, cores, frutas etc. Espera-se que até os 8 anos de idade a criança seja capaz de repetir uma sequência equivalente à idade dela (aos 5 anos repete 5 números, por exemplo)

4- Brincadeiras como STOP, em que se tem uma letra inicial e precisa pensar em coisas que iniciam com aquela letra.

5- Outras brincadeiras que envolvam a audição e a atenção, como repetição de sons ouvidos a partir de instrumentos, brinquedos que reproduzem sons em sequência, atividades que requerem manutenção da atenção.

Tudo que é do processamento auditivo é habilidade, e pode ser melhorado a partir do treinamento. Se percebe que seu filho está com dificuldade, me procure, terei prazer em auxiliá-lo.
Abraços,

Gleidis R. Guerra
Fonoaudióloga Escolar

Leia mais ...

Alfabetização e Pandemia

ALFABETIZAÇÃO E PANDEMIA: o que você precisa saber sobre a alfabetização do seu filho

A suspensão das aulas por conta do coronavírus e a necessidade de isolamento social trouxe um grande desafio para pais, professores e alunos que passaram a estudar de forma online. Uma preocupação ainda maior se dá quando essa criança está iniciando o seu processo de alfabetização. O que fazer? Como ajudar? Será que o processo deve ser continuado?
Sabemos que nessa época de pandemia muitos pais estão preocupados com os filhos que entraram no primeiro ano escolar, ou seja, iniciaram o processo de alfabetização. Embora essa preocupação seja normal, há algumas coisas que precisam saber sobre esse período e que, tenho certeza, irão tranquilizá-lo.

MITO OU VERDADE?

1. Toda criança precisa estar alfabetizada no primeiro ano escolar, ou ficará atrasada na escola. MITO.
Na verdade, nenhuma criança precisa estar completamente alfabetizado no final do primeiro ano, ao contrário do que se pensa, a alfabetização é um processo que pode ocorrer até o final do terceiro ano.

2. A alfabetização envolve apenas ler e escrever fluentemente na sua língua. MITO.
Ler e escrever é a parte final do processo, antes disso é necessário que a criança desenvolva sua maturidade neurológica e alguns conceitos fundamentais, e esse desenvolvimento pode e deve ocorrer a partir de brincadeiras e atividades da sua rotina. Respeitar regras, desenvolver a coordenação motora global e fina, desenvolver a coordenação visomotora (envolve olhar e fazer) e a habilidade auditiva fazem parte desse processo.

3. Para aprender a criança deve se interessar por aquilo que ensinamos. VERDADE.
A aprendizagem só ocorre quando algo é significativo para a criança, portanto, nesse período que estamos em casa, procure desenvolver atividades que mostre para ela a importância de ler e escrever, e isso pode envolver desde a leitura de um livro, ou das regras de um jogo que ela quer jogar, até fazer uma receita culinária juntos, uma lista para o mercado.

4. A criança é capaz de criar hipóteses sobre a leitura e a escrita. VERDADE.
Sabemos que a criança cria hipóteses sobre a maneira correta de ler e escrever. Oferecer a ela desafios, em forma de brincadeiras, pode auxiliar nesse processo. Quanto maior o contato que ela tiver com materiais escritos, maior será sua curiosidade e busca por respostas.

5. Se a criança não aprende a ler e a escrever é porque tem má vontade, preguiça. MITO.
Não existe preguiça de aprender, se apesar dos estímulos a criança não está se desenvolvendo da maneira esperada, essa deve ser melhor investigada, avaliada, pode estar ocorrendo alguma dificuldade importante para o aprendizado.

6. Famílias que têm o hábito de leitura faz com que as crianças aprendam com maior facilidade. VERDADE.
Quanto maior o contato da criança com as letras, através de atividades diversas ou mesmo da presença de livros em casa, maior será seu interesse em aprender, mais significativo será seu aprendizado.

A relação que a família estabelece com a leitura e a escrita e com seu processo de alfabetização é determinante para o aprendizado. Se a criança percebe pais ansiosos, que cobram demais, que a julgam por não ter conseguido, seu processo poderá ser bloqueado e surgirem dificuldades que nem precisariam existir.

Ao invés disso, traga a leitura e a escrita para as atividades do dia-a-dia, para os jogos e brincadeiras, para os momentos de diversão em família. Dessa maneira, a alfabetização surgirá de maneira quase natural, e quando menos esperar, seu filho estará lendo.

DICAS PARA DESENVOLVER HABILIDADES PARA ALFABETIZAÇÃO:

  • COORDENAÇÃO MOTORA GLOBAL – correr, pular corda, brincar de amarelinha etc.
  • COORDENAÇÃO MOTORA FINA – Jogos de construção (Lego, montar torres), origami (dobraduras) etc.
  • COORDENAÇÃO VISOMOTORA – acertar a bola em um cesto, copiar um desenho, jogo do espelho (copiar determinados movimentos) etc.
  • HABILIDADES AUDITIVAS – Memorização (ouvir e repetir), jogos com sons, falar palavras que começam com determinado som etc.
  • LER E ESCREVER – bingo de letras, jogos com figuras e a palavra escrita, dominó de letras, cruzadinhas, caça palavras etc.


Como vimos, podemos fazer muitas coisas para auxiliar na alfabetização dos nossos filhos, mas em caso de dificuldades ou dúvidas, estou à disposição para auxiliá-los, é só me chamar pela Agenda Edu.


Abraço carinhoso e virtual


GLEIDIS R. GUERRA – Fonoaudióloga Escolar

Leia mais ...

Doações - Drive Thru da Família

Agradecemos a todos aqueles que, além de muito nos alegraram com a presença no dia do Drive Thru da Família, também contribuíram com doações de produtos de higiene, que foram ofertadas para compor as 160 cestas básicas que Igreja Matriz de Mauá distribui, mensalmente, às famílias carentes do Município.

O padre Cláudio, pároco da igreja Matriz, agradece, imensamente, em nome das famílias beneficiadas, as doações recebidas.

Que Deus abençoe a todos.

Leia mais ...

Galeria de Fotos - Drive Thru da Família

O Drive Thru da Família em comemoração ao Dia dos Pais foi um sucesso.

Agradecemos todos que compareceram e contribuíram com a ação.

Veja os álbuns de fotografia do evento:

A ação teve repercussão na região e recebeu atenção no Diário do Grande ABC com uma matéria publicada no dia 08/08.

https://www.dgabc.com.br/Noticia/3516798/escolas-realizam-drive-thru-para-comemorar-o-dia-dos-pais

Leia mais ...
Assinar este feed RSS